Quotation of the Day

Sunday, January 25, 2009

Obrigada ^^



"Com o Prémio Dardos reconhecem-se os valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. que, em suma, demonstram a sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à web.”

Ora gostaria de oferecer este prémio aos seguintes blogs:

Friday, January 16, 2009

Para lá do horizonte

Com as suas cores vivas não há nada mais lindo que o sol no horizonte.
Tamanha é a imagem, que me faz sentir preenchida por dentro.
E é isso que realmente importa.
Sentires-te inteira/o, sentires-te bem.

Mesmo que o mundo desabe à tua frente podes simplesmente fechar os olhos e reconstitui-lo.
Como uma antiga colega minha disse (dito por alguém antes dela, certamente): "O mundo é como o vemos, não como nos querem fazer ver"
E como é bom fechar os olhos!
Vê-se coisas mais bonitas, mais completas, mais profundas!
Vês, tens e fazes tudo!
Sem excepção!
Pois não há excepções dentro de nós, se tu o assim quiseres.

O problema de muitos é que não acreditam!
Não acreditam que podem moldar o mundo sorrindo para ele, fechando os olhos e deixando-se levar...

Eu acredito.
Para mim basta-me poder regalar os olhos com o horizonte e viajar pelo mundo no meu tapete mágico.
Sim Diana, a colega és tu.=)

Liberdade


A maior parte das pessoas não são livres porque não o sabem ser.

Não gritam quando lhes apetece.
Não fazem o que querem com medo de tudo e de todos.
Estão constantemente a olhar para o relógio a ver o tempo passar, sem o aproveitar.
A vida passa por elas sem que elas se apercebam...

Não quero ser assim!
Hei-de ser tão livre como uma folha ao vento!
Não só porque posso mas porque quero!
Estou viva e quero viver!
Um dia, não hoje nem agora, mas um dia...
Hei-de me tornar em tudo o que a minha liberdade me permite.
Porque quero!
Porque posso!
Porque estou viva!

Friday, January 2, 2009

O verdadeiro sentimento


Era uma vez um Menino muito especial, era especial, principalmente, por ser uma criança mas também por outra razão. Este Menino a uma certa altura parou de crescer e a partir daí tinha sempre a mesma idade.
Ele vivia numa terra onde o tempo não passava, uma terra cheia de magia, uma terra onde tudo era possível, a terra dos sonhos.
O Menino era feliz pois podia brincar sempre que queria e fazer sempre o que lhe apetecia.

Um dia, uma Menina apareceu na sua terra.
Ficou perdida no meio dos sonhos...
O Menino viu-a e tentou convencê-la a ficar.
A Menina ficou espantada com o brilho e a alegria da terra dos sonhos.
Ficou mesmo maravilhada...
Até que se lembrou que estava perdida e apesar de tudo aquilo ser bonito queria voltar para casa.
Então pediu ajuda ao Menino, pediu-lhe que a ajudasse a encontrar o caminho para casa.
O Menino achou estranho ela não querer ficar naquela terra onde tudo era magicamente feliz.

Acabou por lhe mostrar o caminho de volta a casa.
Mas antes dela se ir embora pergunto-lhe porque é que não queria ficar.
Ela respondeu, muito certa de si mesma:
-Não quero ficar a viver um sonho.
-Porque não?
-Porque não é real.
O Menino não percebeu o porquê dela ter escolhido a realidade ao sonho.
E ela vendo que ele tinha ficado confuso finalizou:
-O sonho não tem o verdadeiro sentimento. - E desapareceu no meio das nuvens no céu.

O Menino ficou curioso para saber o que era o verdadeiro sentimento mas estava preso àquela terra, àquele mundo.
Então, esqueceu a menina e foi brincar.



Gostaria de ser aquele menino...Que esqueceu e foi brincar.








Ajudar não é difícil!

Share food, change lives

Black Pixel

Total Pageviews

Shelfari, os livros que já li =)

Followers

There was an error in this gadget

=D

=D

Obrigada Kuka ^^

Obrigada Diana! =D

Obrigada Diana! =D

Blogs

About Me

My photo
"...o meu coração é uma floresta cheia de nevoeiro - guarda tudo e não encontra nada. Sou uma recordadora profissional. Vivo de recordações, mesmo daquilo que ainda não fiz.E repito infinitamente os mesmos truques. Iludo-me. Penso sempre que amanhã é que vai ser. Desenvolvi um erotismo futurista: deleito me com o puro prazer dos meus sonhos.De certa maneira, já vivi tudo, porque em sonhos consigo projectar-me inteira nos corpos, nos sentimentos e nas experiências dos outros. Tenho uma capacidade estereofónica; posso ter ao mesmo tempo cem e dezoito anos. O que é um cansaço..." IP